Thomas Meunier: "Somos uma grande família"

Entrevistas

Antes de ingressar na seleção belga, o zagueiro do Paris Saint-Germain falou sobre a temporada 2018-2019 do clube da capital

Thomas, o quão importante é ganhar este título do Campeonato Francês?

"Como um clube ambicioso, é o troféu que temos que conquistar em uma temporada. O título garante a qualificação para a Liga dos Campeões e renda para o clube. É uma soma que faz o Paris Saint-Germain dever ganhar o campeonato todos os anos. Por toda a Europa, os clubes deixaram sua marca na história acumulando títulos nacionais. Para mim, é isso que faz um clube famoso. É também por isso que as pessoas começarão a se interessar pelo clube e a se tornarem torcedores."

Qual a sua opinião sobre a temporada 2018-2019?

"Ela foi absolutamente excepcional. A equipe queria quebrar recordes, como fizemos nas temporadas anteriores. Quase todos os anos conseguimos quebrar marcas, a maioria das quais foi definida pelo próprio Paris Saint-Germain. Não devemos subestimar o trabalho realizado pela comissão técnica, os jogadores, o clube como um todo, mas também os torcedores. Somos uma grande família e o trabalho feito ao longo da temporada e nos anos anteriores está valendo a pena. É importante enfatizar que isso nunca é fácil. É mais simples chegar ao topo do que permanecer lá. E aqui, por enquanto, fazemos o trabalho muito bem."

O início da temporada foi particularmente marcado por 14 vitórias consecutivas, um recorde...

"Um super recorde! A maioria dos jogadores manteve o ritmo da Copa do Mundo e ainda estava em alto nível. Quando você só tem duas ou três semanas de férias durante toda a temporada e teve uma boa preparação antes da Copa do Mundo, você ainda está no ritmo, ainda com esse desejo e motivação. Nós surfamos nesta onda da Copa do Mundo de 2018 e aqui está o resultado."

Em um nível pessoal, como você viveu a temporada?

"Ela foi marcada por lesões, o que não estou acostumado. Desde o início de 2019, eu tive três lesões, uma a cada mês... Três meses de ausência é algo longo! Mas fora isso, estou muito feliz com as minhas estatísticas, que são muito positivas pelo número de partidas disputadas. Eu sou decisivo em um a cada dois jogos em média, e isso não é simples. Continuo a minha evolução desde a minha chegada a Paris, com balanços cada vez melhores do que na temporada anterior. Faço o que posso para a equipe e quando trabalhamos coletivamente, somos sempre recompensados ​​individualmente."