Pauleta: "Todo mundo queria jogar esta partida"

História

Lenda do clube da capital, Pedro Miguel Pauleta (211 jogos e 109 gols com o Paris entre 2003 e 2008) falou com exclusividade ao PSG.FR sobre suas memórias dos “Classiques”, além do duelo deste domingo (17) entre Paris Saint-Germain e Marselha

Pedro, que tipo de partida podemos esperar no domingo?

"Este é provavelmente o jogo mais importante do campeonato francês. É sempre uma partida difícil, mas que todos os jogadores querem disputar. E é um duelo que todo mundo quer ver. Tenho certeza de que veremos uma grande partida no domingo à noite."

Os torcedores também terão um papel a desempenhar...

"Os torcedores sempre estarão lá, apoiando a equipe. Eles têm orgulho do clube e suas cores. Claro, houve decepção. Mas o futebol é assim. Devemos aproveitar isso para continuar avançando e crescendo. Derrotas também fazem parte da história e permitem que um clube avance. Espero que a torcida faça barulho no domingo!"

Como se vive um Classique por dentro?

"Sentimos imediatamente que é um jogo diferente. Desde o começo da semana, a atmosfera é diferente. Na minha época, havia muita gente nos treinamentos. Muitos torcedores vinham e nos falavam sobre a importância desta partida para o clube, para a cidade. Todos se sentiam preocupados, todos queriam jogar... é um jogo muito importante para o clube."

Como líder, você precisava motivar os jogadores no vestiário antes da partida?

"Todo mundo estava tão concentrado que não era necessário dizer muitas coisas no vestiário. Nem o treinador precisava falar. Algumas explicações táticas, claro, mas no nível de motivação, todos estavam cientes das expectativas, as dos torcedores em particular. Acho que não é diferente hoje em dia. Apesar da diferença na classificação, estou certo de que a concentração dos jogadores no domingo estará no seu máximo!"

Qual a sua melhor lembrança do Classique?

"Eu me lembro do meu primeiro Classique, no Parc des Princes. Nós ganhamos por 2 a 1 e eu marquei os dois gols. E muitas pessoas continuam falando sobre esse gol que marquei contra o Barthez... Eu imediatamente entendi a importância desse gol para o clube, para os torcedores e para mim. Os jogadores precisam responder a esse tipo de partida, e estou feliz por ter feito isso várias vezes nos Classiques."