Paris é freado pelo Montpellier

Equipe principal

Os destaques:

Livres de qualquer pressão após obter seu oitavo título francês, os parisienses foram derrotados no gramado do La Mosson. No entanto, o Paris Saint-Germain parecia ter as chaves para a vitória em meados da segunda etapa.

O clube da capital liderava o placar depois de um golaço assinado por Di María, que driblou o goleiro Lecomte com estilo (1x2, 17’/2ºT). Neste momento da partida, Ángel era também o primeiro marcador "real". Não víamos tal cenário por 10 anos na Ligue 1 ao longo dos primeiros 45 minutos: antes do intervalo, Oyongo em cruzamento de Bernat (0x1, 13’/1ºT) e Kimpembe após cabeçada de Le Tallec (1x1 , 1’/1ºT ) haviam balançado as próprias redes. Enquanto isso, Buffon havia feito duas defesas sublimes (30’/1ºT e 31’/1ºT).

Virada

Mas vamos voltar ao ponto de virada, quando o Paris Saint-Germain poderia ter definitivamente matado a partida. Oito minutos após o golaço de Di María, os campeões franceses dominavam ofensivamente, mas Draxler viu Pedro Mendes tirar seu gol em cima da linha (25’/2ºT).

E nos minutos finais, em contra-ataque fulminante, Delort aumentou a temperatura do Stade de la Mosson ao balançar a rede de Buffon (2x2, 35’/2ºT). Paredes ainda trabalhou ao também tirar uma bola em cima da linha (40’/2ºT), mas o suspiro de alívio foi apenas temporário. Na sequência, Camara, que havia entrado apenas três minutos antes, aproveitou uma cochilada da defesa parisiense para dar a vantagem ao MHSC (3x2, 40’/2ºT).

Mesmo placar, mesmo veredito contra o Nantes, por ocasião da última partida fora de casa, há duas semanas. O mesmo vale: após um festival de pontos na L1, o Paris Saint-Germain diminui o passo. A contabilidade está longe de ser problemática. Mas na atitude, é muito menos anedótico. Sábado, diante do Nice, o público do Parc esperarará uma atitude bastante diferente.