O Paris Saint-Germain agradece a Gianluigi Buffon por ter honrado sua camisa

Equipe principal

Após uma longa e serena reflexão, o Paris Saint-Germain e Gianluigi Buffon decidiram não renovar o contrato do lendário goleiro, que expirará em 30 de junho

Com a camisa Rouge et Bleu, o goleiro italiano (176 jogos pela Azzurra) disputou 25 partidas oficiais, conquistando um título do Campeonato Francês (2019) e um Troféu dos Campeões (2018), para completar a imensa galeria de taças do ex-goleiro de Parma e Juventus, agora com 41 anos de idade.

O Paris Saint-Germain ficará honrado em ter tido em seu elenco o maior goleiro da história do futebol, vencedor da Copa do Mundo de 2006 e inúmeros prêmios individuais desde o início de sua carreira. O clube também deseja ao inesquecível "Gigi" o melhor em todos os projetos pessoais que o esperam agora.

“Obrigado a todos por tudo o que tive a oportunidade de viver em Paris”, disse Gianluigi Buffon. “Obrigado pelas emoções compartilhadas. Doze meses atrás, cheguei ao Paris Saint-Germain cheio de entusiasmo e acolhido pelo incrível calor dos torcedores. Foi realmente emocionante. Obrigado, mais uma vez, com todo o meu coração. Parto feliz por ter vivido essa experiência que, sem dúvida, me fez melhorar e crescer. Hoje termina minha aventura fora da Itália. Quero agradecer ao Presidente Nasser Al-Khelaifi, a todo o clube e aos meus companheiros de equipe. Desejo-lhes tudo de bom, convencido de que todos vocês escreverão juntos as páginas de uma história magnífica. Ernest Hemingway escreveu que existem apenas dois lugares no mundo onde se pode viver feliz: em casa e em Paris. A partir de hoje, isso valerá para mim também: Paris, em qualquer lugar, estará sempre um pouco em mim... Allez Paris! Obrigado e boa sorte em tudo!”

 “Jamais esquecerei o orgulho que todo o Paris Saint-Germain, seja o clube ou a torcida, sentiu vendo Gianluigi Buffon vestir a nossa camisa”, disse Nasser Al-Khelaifi, o Presidente do Paris Saint-Germain. “Pela primeira vez em sua fabulosa carreira, Gianluigi fez a forte escolha de deixar a Itália e apenas um projeto ambicioso e moderno como o nosso chamou sua atenção. Durante seu tempo no PSG, ele somou não só aos seus companheiros de equipe, mas também a todos os componentes do clube, com sua experiência fenomenal, seu senso de profissionalismo e sua personalidade admirável, calorosa, unificadora e muito aberta ao mundo. ‘Gigi’ permanecerá para sempre entre os gigantes do futebol que vestiram com talento as cores e os valores do Paris Saint-Germain. Ficaremos muito honrados em revê-lo novamente no próximo ano, ao lado de outros ex-jogadores, para celebrar o 50º aniversário do nosso clube.”