Mauricio Pochettino: "O objetivo é sempre vencer"

Entrevistas

O técnico do Paris Saint-Germain respondeu às perguntas da PSG TV em uma entrevista exclusiva, relembrando a primeira metade da temporada, enquanto falava sobre os próximos desafios

Treinador, como você vê esta primeira parte da temporada?

"Acho que esta temporada é um grande desafio. Houve muita emoção. Acho que coisas muito importantes foram feitas e que temos uma grande equipe. O grande desafio é fazer tudo funcionar em equipe e que nos momentos importantes da temporada esses talentos venham à tona e nos deem os resultados que buscamos e que uma equipe como o Paris Saint-Germain mereça."

Como vocês integram os novos jogadores?

"Talvez seja o mais complicado, o mais difícil de fazer. Acho que em termos de futebol e filosofia, treinamento e metodologia, todos os treinadores de hoje estão preparados para isso. O segredo, como eu disse no início da temporada, é que todos os nossos jogadores tenham esse sentimento de pertencer a um grupo, a uma ideia, que exista uma boa conexão, um bom entendimento, uma boa união em que todos possamos participar e se sentir importante dentro do grupo. Acho que esse é o desafio mais importante, mais do que um sistema de jogo, mais do que uma tática ou um plano de jogo."

Como se criam essas conexões?

"Existem estratégias para cada jogador. Mas também é uma questão de tempo, para nos conhecermos, para criarmos esses vínculos. Claro, relacionamentos nunca podem ser forçados, eles precisam de tempo. E acredito que para cada jogador que entra nesse grupo, e isso é normal, cada um precisa de seus momentos, de um tempo diferente. E é só com o passar da temporada que eles vão se consolidar."

Como você avalia o nível da Ligue 1 nesta temporada?

"É um campeonato difícil. Acho que há mérito no que fizemos até agora. Não é um campeonato fácil, e está melhorando a cada ano. Ele está crescendo, é muito competitivo. E logicamente, pelo que o Paris fez nos últimos anos, é sempre a equipe a ser vencida e acho normal que as equipes que jogam contra nós tenham uma motivação adicional. Esse esforço extra às vezes dificulta as partidas, enfrentando equipes que se defendem muito e fecham os espaços. Não é fácil, mas é verdade que nos dá mérito estar na nossa posição no topo da tabela."

Também temos a sensação de que para valorizar os talentos, a discussão e a comunicação são muito importantes para você...

"Acho óbvio dizer que nós, futebolistas, somos pessoas e sempre falamos de futebol como um contexto de emoções. As emoções correm alto em todas as esferas da vida e o mesmo é verdade no futebol. Os torcedores são movidos pela paixão, que é uma emoção. E jogamos futebol porque gostamos de jogar futebol, porque também é uma emoção que transborda dentro de nós. Não podemos tratar os jogadores de futebol como algo inerte, sem vida. Eles sentem, sofrem, têm os mesmos problemas que qualquer outra pessoa, mas ao mesmo tempo têm uma responsabilidade que é jogar futebol, estar em competição ainda mais do que jogar futebol e dar resultados. Então você tem que colocar tudo isso no mesmo saco, para poder administrar um jogador triste da melhor maneira possível. É muito difícil para ele expressar seu talento. Um jogador cuja prioridade não é o futebol, ou que tem certos problemas, sempre terá dificuldade em expressar seu talento em campo. Mas sempre me refiro ao futebolista como a qualquer pessoa, como qualquer interlocutor, para desenvolver o seu trabalho, no campo que queremos trabalhar. E acho que muitas vezes somos treinadores, mas também somos amigos, psicólogos, pais, adaptamo-nos às necessidades dos nossos jogadores porque, no fundo, os vemos como se fossem nossos filhos."

Como você encara o resto da temporada?

"Como sempre digo, estamos todos em um estado de completa incerteza. Estamos vivendo em uma era com esse vírus difícil onde, a cada dia, temos um caso diferente. Não sabemos se amanhã poderemos treinar com 20, 15 ou 25 jogadores, e temos que nos adaptar ao dia a dia. Então, logicamente, espero o melhor, espero que possamos melhorar em todas as áreas. E acho que o objetivo é sempre vencer e conquistar todas as competições."