Marco Verratti: "Já somos uma grande equipe"

Equipe principal

O italiano falou sobre sua temporada com o Paris Saint-Germain e sua relação com o técnico Thomas Tuchel, assim como seus próximos objetivos com o clube da capital

Marco, este é o seu sexto título francês no clube, o que te faz o jogador recordista ao lado de Thiago Silva. O que isso representa para você?

"Representa muito, porque é o título que você ganha graças à regularidade, e é absolutamente necessário vencer. É muito importante porque são 38 jogos, é o troféu mais longo para se ganhar numa temporada e é o melhor para a nossa história e a do clube. As pessoas acham que é sempre fácil, mas não é verdade, há dois anos terminamos atrás do Monaco... Mas as últimas partidas, quando não há muito a se disputar, quando você não tem muita motivação, não é fácil jogar, quem quer que seja a outra equipe. Não é o meu primeiro título, mas para mim, é sempre uma coisa muito boa ganhar, para que possamos celebrar com os outros jogadores, porque sabemos o trabalho que fizemos."

Todas as estatísticas mostram que foi uma temporada excepcional...

"Nós fizemos uma campanha incrível. Fomos muito fortes durante os primeiros seis meses, podíamos bater quase todos os recordes. É normal que a segunda parte da temporada seja sempre diferente da primeira. Começam as partidas de copa, partidas importantes da Liga dos Campeões que fazem você perder pontos no campeonato. Claro, fomos ruins nos nossos últimos cinco jogos, não estivemos no topo, mas isso depende de muitas coisas, houve muitas lesões, um declínio de intensidade. Os últimos jogos foram difíceis, mas isso não apaga o que fizemos nos primeiros seis meses."

Como foram os primeiros dias com Thomas Tuchel, que mudou radicalmente o sistema de jogo do Paris Saint-Germain?

"Com esse tipo de pessoa, podemos ver logo de cara que tudo ocorrerá bem. São pessoas que, em duas ou três semanas, conseguem ter um bom relacionamento com todos. É um treinador que diz o que pensa, seja bom ou ruim. Acho que todos os jogadores aqui apreciam o jeito que ele treina, a maneira de se comunicar com o time, especialmente taticamente, porque ele faz você entender o que ele quer. Eu acho que é uma força adicional ter vários sistemas de jogo para se adaptar às equipes que jogam de maneiras diferentes. Acho que entendemos imediatamente como ele era e ganhamos muitos jogos graças às mudanças do treinador."

Estamos vendo o treinador e muitos jogadores renovando contratos. O que falta fazer para o Paris Saint-Germain continuar a progredir?

"Eu acho que temos que trabalhar sempre mais. É uma boa notícia a permanência do treinador, porque ele já conhece o clube, sabe o que precisa ser melhorado. Se mudarmos o tempo todo, teremos que recomeçar a cada vez. Quando cheguei aqui, ganhamos bastante apesar das muitas mudanças. Mas hoje, devemos continuar a ouvir o treinador, ele sabe o que é mais necessário para fortalecer a equipe. Mas acho que já somos uma grande equipe."

Quais são seus objetivos futuros no clube?

"O que mais me motiva é fazer algo a mais na Champions League. Eu vejo que os torcedores estão esperando por este troféu e eu realmente espero honrá-los. Estou aqui há muito tempo e será muito bom para o clube."