Julian Draxler: "Ainda não estamos no nosso melhor nível"

Entrevistas

Muito tempo ausente dos gramados devido a uma lesão, Julian Draxler faz um retorno notável, através de belas atuações com o Paris Saint-Germain. O camisa 23 falou com o PSG.FR sobre esta primeira metade da temporada

Julian, você voltou durante a partida em Brest. Como foi para você?

"Não sabia que ia disputar este jogo, o treinador não me disse antes. Para mim, era importante ter alguns minutos para recuperar o ritmo. E, é claro, quando voltamos depois de tanto tempo de ausência, a primeira partida nunca é a melhor, em geral. Não fui tão rápido como de costume e senti isso. Mas para mim foi realmente importante. E tive a sorte de fazer um passe decisivo para Ángel. Fiquei feliz por ter mostrado ao treinador que ele podia contar comigo novamente. E foi o que ele fez na próxima partida."

/media/61535/_m0u4550.jpg

Como foi essa ausência tão longa?

"Foi complicado. É difícil ver os jogos na TV ou nas arquibancadas, porque você quer estar com o time. Você quer estar em campo. Mas para mim, pessoalmente, a coisa mais difícil foi que, toda vez que eu retornava aos poucos aos treinos com a equipe médica, a dor voltava. Então, trabalhei de três a quatro dias em ambientes fechados. Eu me senti bem no quinto dia, saí... E depois do treinamento, senti uma dor como no primeiro dia. Foi realmente frustrante."

Você enfrentará o Montpellier neste fim de semana. Que tipo de partida os espera?

"Estou conhecendo as equipes, o seu estilo de jogo, os estádios... É sempre difícil em Montpellier. Tivemos alguns problemas nos últimos anos. Sei que é difícil jogar lá, mas é uma nova oportunidade para mostrar que também podemos atuar em estádios difíceis. Esperamos que todos os ingredientes estejam lá para alcançarmos um ótimo desempenho."

/media/61532/23.jpg

Qual a sua observação sobre esta primeira parte da temporada que está chegando ao fim?

"Nunca estamos no nosso melhor no início de uma nova temporada. E na minha opinião, ainda não estamos lá. Alguns se lesionaram, mais ou menos por muito tempo, e ainda não estão 100%. O treinador teve que se adaptar muito de acordo com as ausências. Jogos importantes nos aguardam depois do Natal, esperamos que as lesões tenham ficado para trás. Prefiro ter esses problemas físicos na primeira metade da temporada e voltar ao topo em janeiro."