Abdou Diallo: "Estou com um espírito de conquista"

Equipe principal

Abdou, você vem em uma sequência de dois jogos como titular e parece muito em forma. Como está se sentindo?

Estou bem, me sinto ótimo! Me adaptei a essa posição de lateral-esquerdo, onde corro muito mais. Mas eu gosto, consigo me libertar um pouco mais ofensivamente. Por enquanto, está tudo bem, com duas vitórias no campeonato. E estou me divertindo. Estou crescendo, estou feliz e isso pode ser visto em campo. Depois, é claro que quando você começa a temporada como titular, isso imediatamente o deixa em um bom estado de espírito. Espero que continue assim e até agora estou muito feliz com o meu início de temporada.

Ao contrário da temporada passada, grande parte da equipe conseguiu fazer uma preparação física completa. Você sente o efeito no grupo?

Sim, posso sentir, especialmente porque, pela primeira vez, fizemos uma preparação muito, muito intensa. Tivemos alguns momentos de fragilidade nos amistosos, mas nos treinos nos doamos muito. Estamos voltando a um ritmo normal, com as partidas, então acho que isso será positivo para o futuro. E então as vitórias inevitavelmente ajudam e acho que mal podemos esperar para que o grupo esteja completo, para ver como realmente será em campo.

Também imaginamos que, como em todas as temporadas, o Paris Saint-Germain será aguardado com grande expectativa na Ligue 1. Quais são seus sentimentos nessa busca de reconquistar a taça?

Não estou com um espírito de revanche. Estou com um espírito conquistador. Acho que temos que nos concentrar em nós mesmos e que, se estivermos no nosso nível, tudo ficará bem. Hoje, é certo que as equipes estão preparadas. Vemos os pequenos batendo os grandes, então nada nos será dado de presente. Nada será fácil, a não ser que tornemos as coisas mais fáceis. Então, temos que continuar nessa dinâmica e fazer melhor ainda, já que estamos sofrendo alguns gols. Ainda estamos um pouco irregulares e é normal, já que estamos digerindo a preparação. Muitos jogadores também não estavam presentes, então acho que ainda há muito a evoluir.

Nesta sexta, o Paris irá a Brest, uma equipe que você conhece bem...

É uma equipe que joga de forma atraente há duas temporadas. Sei bem disso, já que meu irmão mais novo jogou lá há dois anos. Espero um jogo aberto com duas equipes que querem jogar bola, duas equipes ofensivas e que querem marcar gols acima de tudo. Portanto, cabe a nós marcar antes, mas também mostrar-nos sólidos defensivamente.