A homenagem aos medalhistas olímpicos

Clube

O Paris Saint-Germain celebrou os 15 atletas das seções de futebol feminino, handebol e judô que conquistaram medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 nesta sexta-feira, 15 de outubro, no Parc des Princes, à margem do duelo da 10ª rodada da Ligue 1 e a vitória por 2-1 sobre o Angers

As jogadoras de futebol canadenses Stéphanie Labbé, Jordyn Huitema e Ashley Lawrence (ouro) e a sueca Amanda Ilestedt (prata), os jogadores de handebol franceses Yann Genty, Vincent Gérard, Nedim Remili, Luka e Nikola Karabatic (ouro), os dinamarqueses Mikkel Hansen e Henrik Toft Hansen (prata) e o espanhol Ferran Solé (bronze), e os judocas franceses Amandine Buchard (prata individual e ouro por equipe), Romane Dicko e Teddy Riner (medalha de ouro por equipe e bronze individual) foram calorosamente recebidos pelo Presidente do Paris Saint-Germain Nasser Al -Khelaifi.

Depois que alguns deles participaram do tradicional pré-jogo ao vivo, os quinze atletas, acompanhados pelos quatro medalhistas paralímpicos franceses Charles-Antoine Kouakou (para-atletismo, medalhista de ouro nos 400 metros T20), Helios Latchoumanya (para-judô, medalhista de bronze em -90kg B3), Trésor Gauthier Makunda (para-atletismo, medalhista de bronze nos 400 metros T11 em Tóquio com seu guia Lucas Mathonat) e Sandrine Martinet (para-judô, medalhista de prata em -48 kg B2) deram uma volta de honra e até cantaram algumas canções com os torcedores parisienses.

"Ter a oportunidade de ver a reação das pessoas, o impacto que este título teve sobre elas e o seu apoio é sempre um prazer,” disse Luka Karabatic. "Ter uma volta de honra e poder exibir nossa medalha é certamente motivo de orgulho." A mesma história com Ashley Lawrence: "Ver toda essa multidão aqui comemorando nossas medalhas é incrível", acrescentou a canadense. "Sentimos seu apoio e isso nos deixa muito felizes."

Uma noite que terminou em apoteose com a vitória parisiense arrebatada bem no final da partida, e que foi particularmente especial para Sandrine Martinet, que ficticiamente deu início à partida ao lado de Teddy Riner. "Participar desse contexto, é claro que é muito agradável", disse o judoca vermelho e azul. "Estar no centro das atenções na casa do Paris Saint-Germain, onde tudo acontece, é muito divertido. No entanto, foi graças ao futebol que nasceram seções como o futebol feminino, o handebol e o judô. Portanto, é um grande prazer. Nós nos divertimos muito, esse era o ponto. Quero agradecer ao clube por pensar em nós."