Adrien Rabiot: ‘Ter uma mentalidade de aço’

Segundo jogador mais utilizado nesta temporada por Unai Emery, Adrien Rabiot falou sobre o confronto diante do Real Madrid pelas oitavas de final da UEFA Champions League

Adrien, o duelo contra o Real se aproxima. O que você se lembra do último confronto contra os madridistas?

"Aquela partida em Madri há dois anos é uma grande lembrança para mim, apesar da derrota. Perdemos por 1 a 0, mas tivemos um ótimo conteúdo de jogo. Nós nos divertimos muito naquela partida, foi um dos nossos melhores jogos da temporada. Eu entrei durante a partida para substituir Verratti, que saiu lesionado. O contexto era bastante complicado, mas tudo ocorreu bem. Também gostei muito de jogar neste estádio. Não tivemos a oportunidade de voltar lá desde então, estamos muito entusiasmados por ir até Madri, sabemos que será uma ótima partida."

Adrien Rabiot: ‘Ter uma mentalidade de aço’

O Paris merecia algo muito melhor do que uma derrota naquele dia...

"Nós não mereceríamos perder. Mostramos coisas belíssimas, pressionamos o Real na casa deles, o que é para poucos. Criamos várias oportunidades, jogamos sério e produzimos um bom futebol. Mostramos naquele dia que podemos confiar no Paris no cenário europeu."

Você sente que a equipe está melhor armada nesta temporada para enfrentar o desafio da Champions League?

"Estamos melhores, no sentido de que o clube recrutou ainda mais grandes jogadores. Mas há também uma importante dimensão psicológica nesses encontros. Sabemos que é uma competição muito diferente do campeonato ou das copas nacionais, e isso é válido para ambas as equipes. Devemos abordá-los de forma diferente, a pressão também é outra. O trabalho e o talento também contam, é claro, mas você precisa ter um mentalidade de aço para obter a vitória nesses jogos da Champions League. Isso é provavelmente o que faltou nas temporadas anteriores. Será necessário estar bem preparado psicologicamente."

Adrien Rabiot: ‘Ter uma mentalidade de aço’

Você é o segundo jogador mais utilizado nesta temporada, atrás apenas de Edi Cavani...

"Isso é uma prova de que o treinador está contando comigo. Ele acha que sou importante para o grupo e que estou bem em campo. Se não estivesse, provavelmente não jogaria tanto. E estou muito feliz com isso. Para mim, é um grande sucesso impor-me nesta grande equipe e jogar tanto assim."